Segunda, 13 Maio 2019 00:00

Morre homem baleado pela PM em Além Paraíba Destaque

Avalie este item
(0 votos)

André Luís de Oliveira, 40 anos, que atendia pelo apelido de “Peri”, conhecido morador do Morro da Conceição, em Além Paraíba, faleceu às 5h25min do último domingo, dia 12 de maio, depois de ter permanecido internado em estado grave por 8 dias, no Hospital São Paulo, na cidade de Muriaé.

André “Peri” foi baleado por policiais militares, durante uma ação contra o tráfico de drogas no Morro da Conceição, na noite do dia 4 de maio. Segundo a PM, dois suspeitos foram abordados na Rua Álvaro Antunes. Um deles, André Luís de Oliveira, teria apontado uma arma para os policiais, que se defenderam atirando contra o suspeito. A bala acertou a cabeça de André “Peri”. O homem ferido foi levado pelo SAMU para o Hospital São Salvador, mas, devido à gravidade do caso, foi imediatamente transferido para o Hospital de Muriaé, onde morreu na manhã do último domingo.

O segundo envolvido no caso, E.A.S.J., conhecido pelo apelido de “Bila”, de 23 anos, chegou a ser detido pela PM, porém foi ouvido e liberado.

Familiares de André Luís de Oliveira têm manifestado revolta através das redes sociais, dizendo que a arma— uma pistola Taurus 9mm, de uso exclusivo do Exército— não pertencia ao rapaz. Também acusam a Polícia Militar de ter agido “com covardia”, pois o tiro teria sido “pelas costas”. Para comprovar a afirmação, foi postada a foto do boné usado por André ao ser atingido, com a marca de bala na parte posterior da cabeça. O boné ficou exposto durante o velório do rapaz. O corpo de André Luís de Oliveira foi velado no “Colinão”— sede da Escola de Samba União da Colina, no Morro da Conceição, bairro em que ele residia. O corpo foi sepultado na manhã desta segunda-feira, dia 13 de maio, no Cemitério Municipal de Além Paraíba.

André, que era filho do sambista e compositor Shell, do Império do Planeta II, era casado com Mirelli, com quem teve dois filhos. Também tinha outros filhos, frutos de relacionamentos anteriores. André já tinha uma passagem anterior pela Polícia, por ter participado de um furto a residência, há quase 20 anos passados. Ficou preso cumprindo pena e, em decorrência disso, não conseguia emprego fixo. Mas trabalhava “fazendo bico”, como ajudante de pedreiro, pintor e até mesmo descarregando caminhão.

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG

Deixe um comentário