Quinta, 29 Agosto 2019 00:00

VEREADOR DAVI PEDE DESCULPAS POR OFENSAS A SERVIDORES

Avalie este item
(0 votos)
VEREADOR DAVI PEDE DESCULPAS POR OFENSAS A SERVIDORES Site da Câmara Municipal de Além Paraíba

O vereador Davi da Paz ocupou um lugar de destaque negativo, ao longo da semana se passou, através de postagens nas redes sociais de muitos cidadãos além-paraibanos. Isso ocorreu devido a vazamentos de áudios gravados por Davi e direcionados às principais assessorias do prefeito de Além Paraíba, Miguelzinho Belmiro. Em tais áudios, o vereador manifestou a sua revolta contra os atuais integrantes do governo municipal, que não estariam atendendo aos seus pedidos, feitos diretamente no gabinete do prefeito. O vereador, que é evangélico, em sua manifestação contra o descaso do governo, usa e abusa de palavrões, ataca a assessoria de Miguelzinho, chama os cargos de “confiança de amarra-cachorros”, afirma que o atual governo (da forma como vem agindo) não tem a menor chance de reeleição em 2020. Toda a revolta de Davi se deu, principalmente, porque a Prefeitura não atendeu a diversos pedidos dele para a limpeza das ruas dos bairros da “Cidade Alta”, especialmente o Jardim Paraíso, sua base eleitoral. Cansado de ser alvo de cobranças e críticas populares no bairro, e por perceber que seu sonho de ser reeleito para a Câmara Municipal está em risco devido à inércia do atual governo municipal, Davi da Paz optou por salvar a própria pele. Não contava, entretanto, com o vazamento de seus áudios e com a má-intenção e o revide de seus adversários políticos (que não são poucos, já que o vereador sempre foi “brigão e explosivo”, fazendo até mesmo espetáculos públicos para chamar a atenção sobre sua pessoa quando almejava disputar um cargo público). O resultado da divulgação dos áudios foi uma avalanche de críticas contra Davi da Paz e suas falas exacebadas. Em sua ânsia de criticar o governo municipal ( fato até aplaudido por muitos), Davi extrapolou e, ao exigir a limpeza do bairro Jardim Paraíso, esbravejou: “Será que dá para vocês mandarem um FDP de um varredor?”. O xingamento, que contextualizado seria um desabafo de revolta contra os “amarra-cachorros” (sic) do governo, atingiu aos servidores públicos, principalmente aos garis, cargo dentre os mais humildes e mal pagos da Prefeitura. A revolta foi geral. Choveram críticas contra o vereador. O estrago foi feito na vida pública de Davi da Paz. E agora ele tenta, desesperadamente, reverter a situação, procurando pessoalmente alguns varredores de rua para se desculpar e até mesmo desculpando-se oficialmente, através do plenário da Câmara Municipal de Além Paraíba. Na última reunião do mês de agosto, segunda-feira, dia 26, o vereador Davi da Paz fez o seu “mea culpa”. Revelou, também, que os polêmicos áudios que gravou no início da semana passada tinham como endereço o serviço de limpeza urbana e que não era sua intenção ofender os varredores. Pediu desculpas, ainda, pelo destempero, ao prefeito Miguelzinho e ao vice, Dr. Paulo Henrique Goldstein-demonstrando, com a fala, que as relações políticas entre o parlamentar e o governo municipal voltaram ao nível da normalidade. O vereador garantiu que o episódio deixou-lhe uma lição: qualquer reivindicação legislativa de sua parte passará, a partir de agora, a ser feita em forma de Indicação, através do plenário da Câmara Municipal. Um “dever de casa” que o vereador deveria ter feito antes de se propor a ser candidato, pois essa postura não é só um direito, mas uma obrigação de todo parlamentar que não se presta a ser subserviente ao Poder Executivo.

 

EDITORIAL:

A FAMOSA LEI DO RETORNO

 

Muita gente tem se escandalizado, muitos têm até comemorado o vazamento de áudios com a voz do vereador David da Paz, de Além Paraíba, espinafrando o governo do prefeito Miguelzinho Belmiro e ofendendo com impropérios algumas categorias de servidores públicos municipais.
Macaca velha que sou no meu observatório da política alemparaibana, digo aos leitores que, antes de opinar, preferi contextualizar esses áudios do Davi, ouvindo-os um a um na sequência cronológica dos fatos que o desencadearam. Óbvio que o vereador Davi chegou à gota de água que faltava em seu copo na desesperada tentativa de preservar seus votos. O tiro acabou saindo pela culatra. Mas em favor de Davi, é necessário usar como defesa que (pelas falas dos áudios que vazaram) ele havia reivindicado VÁRIAS vezes anteriormente a limpeza das ruas do bairro Jardim Paraíso e ninguém na Prefeitura o atendeu!!!! Está claro nas falas gravadas do vereador que os “amarra-cachorros” a quem ele se refere são integrantes da assessoria de Miguelzinho Belmiro (alguns nominados), que blindam o prefeito e “mandam” mais que o mandatário do município. Não respeitaram o vereador e não tiveram nenhum companheirismo com Davi da Paz (um grande aliado político do atual governo municipal), deixando-o à mercê das cobranças da população da “Cidade Alta”, ignorando seus pedidos pessoais para a limpeza dos bairros.
As ruas do Jardim Paraíso somente começaram a ser limpas na semana passada (não em atendimento a pedido do vereador, mas para tentar desqualificar as denúncias em vídeo feitas por Elias Cabral, o “repórter cidadão”, morador da Cidade Alta, que tem percorrido os bairros de Além Paraíba registrando o descontentamento da população mediante a falta de atuação do governo municipal). Acobrança do povo é grande! Não só ao prefeito Miguelzinho Belmiro, bem como aos vereadores com assento na Câmara Municipal. Por estar sendo pressionado, Davi da Paz chegou ao seu limite. E explodiu! Humanamente.
E é compreensível essa explosão do vereador Davi. Quando ele, em áudio dirigido à assessoria do Prefeito diz: “Dá pra mandar pelo menos um filho da puta pra vir limpar essas ruas”, percebo que foi força de expressão e revolta CONTRA O PESSOAL MANDANTE E INERTE DA PREFEITURA! E não contra os servidores públicos varredores de rua! Mesmo assim sendo, Davi errou. Ele deveria ter se controlado e moderado suas palavras, pois não é papel de vereador usar de desequilíbrio e descompostura para fazer cobranças ao Poder Executivo. Infelizmente (a se julgar pelo recente pedido de desculpas na última reunião deste mês de agosto na Câmara Municipal), o vereador se deu conta de seu erro tardiamente. O estrago junto aos servidores públicos já está feito, por suas palavras “desembestadas” e pelo carnaval fora de época feito pelos aproveitadores, que replicaram e multiplicaram as declarações do vereador, propositalmente sem contextualizá-las.
Davi errou. Mas também não é louvável a ação de quem usa o desabafo de cobrança do vereador aos seus “parceiros políticos” com o claro intuito de “queimá-lo” eleitoralmente. E conseguem!
Destaco aqui que não tenho nenhuma relação de amizade com o vereador Davi. E tenho, sim, muitas críticas a ele que, até então, vinha se mantendo aliado incondicional ao prefeito mesmo em situações indefensáveis.
Mesmo discordando de algumas atuações do vereador Davi da Paz, é preciso reconhecer que, neste episódio do seu desabafo, a revolta foi compreensível. Infelizmente, ele “errou na mão” e extrapolou na fala. Vamos esperar que ele tenha aprendido com o próprio erro, pois o Davi da Paz de hoje não pode mais agir como “aquele rapaz” de alguns anos atrás, que frequentava as galerias da Câmara e que usava de seu destempero comportamental para causar polêmicas políticas. Hoje ele é uma autoridade parlamentar e, como tal, deve fazer valer essa autoridade através do plenário do Poder Legislativo Municipal, onde as cobranças oficiais devem ser feitas e que podem ser muito mais eficazes do que a prática do show de impropérios de quem está em guerra por votos em campanha eleitoral. Davi experimentou, nos últimos dias, um pouco do “veneno” do qual às vezes se valia nos tempos em que almejava uma vaga como vereador na Câmara Municipal. É a velha máxima popular: “tudo o que você faz, um dia volta pra você”. (Marilia R. Muniz)

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Quinta, 29 Agosto 2019 18:58

Deixe um comentário