Segunda, 23 Fevereiro 2015 00:00

Carnaval de rua em Além Paraíba foi pura animação, mas desfile das escolas deixou desejar

Avalie este item
(0 votos)
Como em anos anteriores, o Bloco das Piranhas é o mais democrático momento do carnaval de Além Paraíba, reunindo crianças, jovens e idosos. Não há limite de idade: todos querem “soltar as frangas”. Como em anos anteriores, o Bloco das Piranhas é o mais democrático momento do carnaval de Além Paraíba, reunindo crianças, jovens e idosos. Não há limite de idade: todos querem “soltar as frangas”. Marilia Muniz


A Escola de Samba Unidos Três Corações não aceitou deixar de desfilar neste ano em que completa o seu cinqüentenário. Tendo apenas uma concorrente, o 'Cutuca' foi Campeão. Na foto, o destaque André Borges.

Mais uma vez, o carnaval das escolas de samba e blocos carnavalescos de Além Paraíba gerou uma grande polêmica, principalmente em função de algumas ocorrências que acabaram causando efeito negativo nos desfiles das agremiações.
O carnaval grandioso das escolas e blocos de Além Paraíba— que já foi considerado o melhor da região— já não é mais o mesmo desde 2011, último ano em que estiveram reunidas todas as grandes agremiações locais. Em 2012, os desfiles, por conta da tragédia das chuvas, foram suspensos. Em 2013, a Colina deixou de participar dos desfiles e todo o clima da famosa disputa com o “Cutuca” foi quebrado. Também foi a partir daí que a Liga das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos entrou em conflito com a Prefeitura Municipal e um verdadeiro “cabo de guerra” teve por conseqüência a não-realização dos desfiles em 2014— o que enfraqueceu ainda mais o antigo prestígio das escolas e blocos diante do Poder Público. Alegando as mesmas dificuldades financeiras do ano passado, o prefeito Fernando Lúcio Donzeles disse que a Prefeitura não poderia repassar na íntegra, e antes do carnaval— como sempre foi feito— as subvenções das agremiações. O valor para cada uma era de cerca de 27 mil reais para escolas de samba e cerca de 13 mil reais para os blocos. A promessa era dar metade destes valores antes dos desfiles e a outra metade somente depois. O Império do Goiabal, que já vinha desfilando sem dinheiro da PMAP em seus primeiros anos, aceitou a proposta de Fernando Lúcio. Também a Unidos Três Corações confirmou sua presença na avenida, justificando que não poderia ficar fora do carnaval justamente em seu cinqüentenário, comemorado neste ano. Dos blocos, o único que acatou a proposta da Prefeitura foi o Acadêmicos do Santa Rosa. Todas as outras agremiações seguiram a decisão capitaneada por Edmílson Rodrigues, representante do Império do Planeta II, cujas desavenças com o prefeito Fernando Lúcio vão bem além das questões de carnaval. É bem verdade que ficaria difícil para os dirigentes carnavalescos colocarem suas agremiações na avenida sem a totalidade da subvenção da PMAP em mãos. Até porque são poucas as agremiações que “arregaçam as mangas” durante o ano para fazer caixa através de promoções. A maioria fica esperando pela famosa “ajuda” do Poder Público. Este, por sua vez, tem demonstrado, no atual governo municipal, não ter grande sensibilidade e nem afinidade com o carnaval da avenida, com pompas e circunstâncias. Prefere investir no carnaval de rua, com trios elétricos mambembes— e de repertórios musicais duvidosos— mas que arrastam verdadeiras multidões atrás de si.
O resultado da inércia das agremiações, desavenças pessoais de dirigentes com o grupo político que está no poder e a “picuinha revanchista” deste mesmo poder com relação ao carnaval das escolas e blocos foi um desrespeito à cultura e à história dos carnavais de Além Paraíba.
Com um único bloco e apenas duas escolas desfilando, a Prefeitura achou por bem não investir em arquibancadas para o público. Se não houve arquibancadas, muito menos camarotes— que se pagariam e não seriam ônus para a Administração Municipal, caso fosse acordado que a arrecadação não mais iria para a Liga como em anos anteriores. Faltaram enfeites na avenida, faltou iluminação condizente e até o som— que, esperava-se, ser um dos melhores dos últimos anos— acabou se transformando em um desastre, por obra da natureza: um dos equipamentos queimou por conta de uma forte chuva que caiu no dia do desfile e toda a programação digital da aparelhagem “foi por água abaixo”, obrigando as agremiações a se apresentarem de forma precária, após muita tensão, estresse, brigas homéricas e as baixarias verbais de sempre.

O primeiro a entrar na avenida foi o Bloco Carnavalesco Acadêmicos do Santa Rosa, que apresentou seu enredo sobre os antigos carnavais. O Santa Rosa não participou da disputa pois não teve concorrente, mas fez um desfile bonito, sendo muito aplaudido por um grande público que, mesmo debaixo de chuva, e sem arquibancadas, foi prestigiar o carnaval— contradizendo assim os argumentos de pessoas ligadas ao atual governo municipal de que “desfile de escola de samba é coisa para meia dúzia de pessoas”. O mesmo público não arredou pé, esperando até a madrugada, pela entrada da segunda agremiação na avenida: a Império do Goiabal— caçulinha das escolas de samba e um exemplo de união da comunidade onde ela se originou. Esta foi a segunda vez que o Goiabal pisou na avenida da Ilha, mas no ano passado, por não haver carnaval em Além Paraíba, eles levaram seu samba para outras paragens, com simplicidade, com dificuldades, mas sem perder a dignidade. Neste ano 2015, a escola veio com um enredo que falava das flores, de autoria do consagrado carnavalesco Rolando Amaral, e fez um belíssimo espetáculo na avenida, considerando as limitações financeiras que a prejudicaram, bem como a todas as escolas e blocos.
Fechando os desfiles, já na madrugada,— devido aos atrasos causados pelos problemas na sonorização— a Escola de Samba Unidos Três Corações fez vibrar a avenida e conquistou o título de “Campeã do Carnaval 2015” , em plena comemoração dos seus 50 anos de fundação. Com um enredo que falava de sua história de glórias, a vermelho e branco da Jaqueira sacudiu a Ilha do Lazareto, empolgando o público presente, com sua inconfundível garra e determinação. O Cutuca conseguiu 7 notas dez nos 11 quesitos julgados e só perdeu para o Goiabal no quesito Samba Enredo e empatando no quesito Alegorias e Adereços. No total, a Unidos Três Corações obteve 108,8 pontos contra 106,2 pontos atribuídos à Escola de Samba Império do Goiabal.

 

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Segunda, 23 Março 2015 19:07

Deixe um comentário

whatsapp_jornal
alemfitnessdentro
rvsound
laisclaronutr
nutrição
agorajornais