Segunda, 13 Julho 2015 00:00

Lançamento do Livro “Barão de São Geraldo: Um Herdeiro da Sinhá Braba em Além Paraíba”

Avalie este item
(1 Voto)
Lançamento do Livro “Barão de São Geraldo:  Um Herdeiro da Sinhá Braba em Além Paraíba” alemparaibahistoria


baraoebarone.jpg
Já foi lançado em Além Paraíba o livro “Barão de São Geraldo: Um Herdeiro da Sinhá Braba em Além Paraíba”. O livro— que já está sendo vendido em alguns estabelecimentos comerciais locais— é de autoria do Professor e Historiador Mauro Luiz Senra Fernandes. Mauro Senra — graduado em História, e Especialista em Educação e Gestão Escolar— em sua mais nova obra conta um pouco da história de Além Paraíba, passada no século XIX, época em que viveu em Além Paraíba o Barão de São Geraldo.

Nascido no Arraial de Nossa Senhora das Mercês do Cágado, atual cidade de Mar de Espanha, a 8 de agosto de 1842, José Joaquim Álvares dos Santos Silva, o Barão de São Geraldo— título nobiliárquico obtido em 15 de junho de 1881— foi casado com Dona Umbelina Teixeira Leite, descendente de uma das mais importantes famílias da “aristocracia rural cafeeira”, estabelecida no Vale do Paraíba do Sul. Ele próprio vinha de uma família tradicional nas Minas Gerais, sendo bisneto do Capitão Ignácio de Oliveira Campos, descobridor dos sertões entre rios das Velhas, Paraíbuna e Dourados; um dos fundadores da cidade de Patrocínio; e de Dona Joaquina Bernarda da Silva de Abreu Castello Branco, conhecida como "Sinhá Braba”, afamada fazendeira de Pitangui.
Em 1881, o Barão de São Geraldo hospedou, em sua fazenda— a atual Fazenda São Geraldo, que se localiza na divisa de Além Paraíba e Volta Grande— a “Família Imperial”. Na ocasião, o Imperador Dom Pedro II e sua esposa, Dona Teresa Cristina, faziam sua importante e histórica viagem ferroviária pelo território mineiro.
Nos tempos em que Além Paraíba era “ São José de Além Parahyba”, o Barão chegou a assumir o cargo de vereador, tornando-se Presidente da Câmara Municipal – cargo correspondente ao de um Prefeito Municipal nos dias de hoje.
Gozava de grande prestígio na Corte e, junto aos seus pares, era muito admirado e considerado, chegando a ser Senador da República.
Na Monarquia, pertenceu ao Partido Liberal e, na República, ao Partido Republicano Mineiro.
Faleceu em 9 de janeiro de 1901, em Queluz, atual Conselheiro Lafaiete, quando era Senador pelo Estado de Minas Gerais. (Da redação, com informações histórias do blog alemparaibahistoria.blogspot.com.br)

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Segunda, 13 Julho 2015 18:53

Deixe um comentário