Sexta, 19 Fevereiro 2016 00:00

Império do Planeta II falou de problemas que ‘assombram’ a humanidade

Avalie este item
(0 votos)
A comissão de frente, tendo como estrela o bailarino Jhow Ávila, que veio do Paraná. A comissão de frente, tendo como estrela o bailarino Jhow Ávila, que veio do Paraná. Marilia Muniz

O Império do Planeta II fez uma entrada impactante na avenida do samba, abrindo seu desfile com uma Comissão de Frente de “assombrações”. Dentre os integrantes em bailado sincronizado, destacava-se o bailarino Jhow Ávila, que veio especialmente da cidade de Maringá (Paraná) e conseguiu arrebatar as atenções e os aplausos do público.
O enredo do Planeta II neste ano foi “Quem anda com Deus não teme assombração” e a escola de samba, como sempre foi seu estilo, desenvolveu o tema de forma bastante crítica, fazendo abordagens do imaginário à realidade. Assim, misturaram-se ao desfile: lendas, mitos, heróis e vilões vindos do “além”, bem como “assombrações do mundo real”, como as mazelas da política desde a época da colonização do Brasil aos dias atuais. Não faltaram alusões a problemas mundiais, como as guerras; ou situações específicas que “assombram” Além Paraíba, como as ruínas da estação ferroviária e o abandono das antigas fábricas de papel Santa Maria e a de tecidos, Dona Isabel.
Embalados pelo espetacular samba-enredo de Ide José dos Santos (que conseguiu fazer uma obra-prima a partir da junção de refrões dos principais sambas cantados ao logo da história do Planeta II), o desfile tinha tudo para ficar na história do carnaval de Além Paraíba. Porém, assim como a União da Colina, o Planeta II cometeu erros que foram perceptíveis ao corpo de jurados. A reciclagem de fantasias de segunda-mão, importadas de outras cidades, não passou despercebida e os jurados detectaram adereços não correspondentes à indumentária; bem como “calçados incompatíveis”. Nesse quesito de “Fantasia”, o Planeta II perdeu 4 décimos (dos 7 décimos que o deixaram atrás da campeã, Unidos Três Corações).
A escola verde e rosa da parte alta do Morro da Conceição teve nota máxima apenas nos quesitos “Técnico” (número de componentes da bateria e baianas); “cronometragem”, “samba-enredo” e “mestre-sala e porta-bandeira” (Ana Paula e Robson, da Viradouro, do Rio de Janeiro).
A grande ausência que se notava neste ano no desfile do Planeta II foi a do presidente Edmílson Rodrigues. Ele não conseguiu se aprontar a tempo para entrar na avenida com a sua diretoria, pois, como um guerreiro, trabalhou até a hora do desfile no barracão de carros, para conseguir colocar a escola na avenida. Edmílson assistiu à apresentação do Império do Planeta II, suado, sujo e emocionado, e em meio ao povão. Toda a frustração de não ter conseguido participar do momento máximo de sua escola foi “exorcizada” na noite do sábado seguinte ao carnaval, quando aconteceu, na Ilha do Lazareto, a entrega pela Prefeitura Municipal dos troféus às campeãs do carnaval 2016 . Ao segurar o troféu de 2º lugar que coube ao Planeta II, Edmílson comemorou, comentando com os amigos: “Vice, com sabor de campeão”. (Cobertura fotográfica completa na galera “fotos” aqui no site.)

imperio_1.JPGimperio_2.JPGimperio_3.JPG

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Sexta, 19 Fevereiro 2016 19:13

Deixe um comentário