Terça, 21 Junho 2016 00:00

OITIS DA ESTAÇÃO AGONIZAM COM PODA DRÁSTICA

Avalie este item
(0 votos)
A foto é do Jornal "A Gazeta", feita na ocasião da poda, justificada como sendo necessária devido a uma "praga". Hoje, quase dois meses depois, não há sinais de recuperação das árvores localizadas em frente à estação ferroviária de Porto Novo. Os troncos desbastados radicalmente continuam secos, sem evidência de ressurgimento das folhagens. A foto é do Jornal "A Gazeta", feita na ocasião da poda, justificada como sendo necessária devido a uma "praga". Hoje, quase dois meses depois, não há sinais de recuperação das árvores localizadas em frente à estação ferroviária de Porto Novo. Os troncos desbastados radicalmente continuam secos, sem evidência de ressurgimento das folhagens. Crédito da foto: blog do Jornal A Gazeta

No final do mês de abril, a poda drástica de todos os galhos de um conjunto de árvores (cerca de 10 pés de Oitis) que ficam em frente à estação ferroviária de Porto Novo, no centro de Além Paraíba, provocou reações irritadas de parte da população. Várias pessoas fizeram críticas à Prefeitura Municipal de Além Paraíba por ter deixado as árvores totalmente “peladas”, restando nas mesmas apenas os troncos.
Segundo informou a assessoria de comunicação da Prefeitura, através de postagens nas redes sociais da Internet, as árvores do centro de Porto Novo teriam sido "acometidas por uma praga que poderia levá-las à morte". Técnicos do IEF deram à Prefeitura o parecer de que a melhor alternativa "para salvar as árvores" era a poda radical.

Passados dois meses, é de se estranhar que nenhuma das árvores- que ficam em frente ao prédio da estação ferroviária de Porto Novo- tenham dado broto, demonstrando que, provavelmente, elas não sobreviveram. Algumas pessoas, incluindo especialistas no assunto, chegam a questionar se, de fato, teria sido uma praga natural ou ação humana  que atingiu de tal forma os Oitis, já que apenas as árvores que ficam em frente a estação foram atingidas. Os oitis são espécie predominante na vegetação urbana de Além Paraíba e uma praga geral seria um desastre.
Os oitizeiros, atualmente agonizantes, ficam localizados na Praça Presidente Vargas, no centro de Além Paraíba, em frente ao Museu de História e Ciências Naturais que está realizando uma obra grandiosa de reforma em todo o complexo, com recursos na ordem de R$ 265 mil, oriundos do Ministério da Justiça. Para algumas pessoas ouvidas pelo jornal Agora, a ausência das copas das árvores teve uma consequência "positiva": deu maior visibilidade ao prédio da estação ferroviária e à grandiosa obra que lá está sendo feita pelo Museu.



Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Quinta, 23 Junho 2016 21:08

1 Comentário

  • Link do comentário Guilherme Lopes - engº agrônomo Terça, 06 Dezembro 2016 18:05 postado por Guilherme Lopes - engº agrônomo

    O mês de abril na região é o inicio da estação da seca e, definitivamente, não é época recomendada para a poda de árvores, mesmo que estejam acometidas de alguma praga ou doença. O tecnicamente correto seria ter aguardado o fim do inverno e o início da primavera (agosto/setembro) para ai então efetuarem a poda. Nesta ocasião a planta naturalmente possui reserva acumulada durante o período de outono/inverno, a temperatura está novamente em elevação, e o retorno da estação chuvosa é um estimulo natural para a revegetação. Portanto, a poda nesta época è mais condizente com a fisiologia vegetal. .

    Relatar

Deixe um comentário

whatsapp_jornal
alemfitnessdentro
agorajornais
portosunset
laisclaronutr
farol