Quinta, 21 Julho 2016 00:00

Muita emoção na apresentação da Locomotiva 51 e reforma do Museu

Avalie este item
(0 votos)

qq.jpg
Comendador Valério Bagule, José Carlos Faria e José Mauro Cardoso, verdadeiros guerreiros, eternamente amantes e loucos pela 51.

51.jpg
Os grandes responsáveis pela belíssima noite com José Carlos Faria.

512.jpg
José Mauro Cardoso ao lado dos amigos José Carlos Faria e Comendador Valério Bagule relata um pouco da história da Locomotiva 51.

521.jpg
Arnaldo Borges - pai de André Borges e responsável pela reforma do Museu - Flávio Senra, André Martins Borges - diretor do Museu - e o Deputado Estadual Rogério Corrêa e seu Assessor.

541.jpg
O cantinho do artesão sob o comando da atista plática Marcia Bergenes Carvalho Alves.


O dia 16 de Julho de 2016 entrou para a história de Além Paraíba. Precisamente às 14h53min, a centenária "Maria Fumaça" Locomotiva 51, do ano de 1880, surgiu no final da Rua Cel. Oscar Côrtes e atravessou o centro da cidade, dando início às comemorações do “III Movimento Além Nos Trilhos”. Depois de quase 40 anos desativada, a “princesinha” voltou a apitar, abrindo a passagem para todos aqueles que quiseram relembrar o passado, quando muitos alemparaibanos faziam suas viagens através do trem. Muitos ainda não acreditavam no que estavam vendo. E lá vinha ela sob o comando do maquinista José Mauro Cardoso e de seus "loucos" amigos José Carlos Faria e Valério Bagulê— integrantes da ABPF/AP (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária de Além Paraíba). Foi difícil segurar as lágrimas, muitos nem mesmo conseguiram, e elas rolaram de felicidade, de alegria do dever cumprido.

Segundo Valério Bagulê fazer a Locomotiva 51 voltar aos trilhos foi “uma questão de honra pessoal”, pois durante quase 30 anos os três amantes da Maria Fumaça foram tachados de “loucos" —desabafou. E foram eles, e somente eles, que acreditaram que isso seria possível e, por muitos anos, custearam sozinhos a reforma e manutenção da velha máquina, que teria virado sucata, não fossem os três amigos. O tempo foi passando e foram surgindo as parcerias e junto com outro grupo de amigos que também embarcaram neste sonho, a reforma da Locomotiva 51 pôde se tornar realidade. Aos três sonhadores juntaram-se os integrantes do Movimento Além nos Trilhos e também o deputado Rogério Correia (PT/MG), autor de uma emenda parlamentar destinando R$ 50 mil para as obras de reforma da “51”, uma locomotiva que tem um enorme valor histórico e mundial, a única deste modelo no Brasil e a segunda no mundo (outro modelo como esse só existe na Inglaterra).

O terceiro evento realizado pelo “Movimento Além Nos Trilhos” no último dia 16 foi aberto com chave de ouro. Quem compareceu ao centro de Além Paraíba pôde rever a Locomotiva 51 em pleno funcionamento, “e ela deu várias voltas ...indo e voltando”, e o que se via era a alegria estampada no rosto de cada cidadão, independente da idade, pois ali compareceram os que vivenciaram a sua história no passado e também os pequenos alemparaibanos que irão contar o seu futuro.
Às 17horas, a 51 se recolheu aos seus "aposentos", no pátio da antiga oficina da RFFSA - Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima, por onde ficou inerte por quase quatro décadas.
Ainda faltam alguns ajustes finais na “Maria Fumaça”, tanto na parte de maquinaria quanto na parte interna. Agora é esperar que um novo sonho se concretize: ver a 51 conduzindo vagões de passageiros em um projeto de trem turístico regional que já está sendo idealizado pelo Movimento Além nos Trilhos.
Presente ao evento, o deputado estadual Rogério Correia (PT/MG) disse que o reparo da locomotiva o motivou a cobrar junto ao Governo de Minas a restauração dos dois torreões que fazem parte do conjunto arquitetônico da estação ferroviária de Porto Novo. ““São históricos e fazem parte da tradição da cidade, a preservação é de fundamental importância para a cultura local. Além da importância cultural, a restauração dos torreões também vai trazer desenvolvimento econômico impulsionando o turismo da região”— enfatizou o parlamentar, em sua página no Facebook.
O alemparaibano Pablo Borges, responsável direto pelas gestões junto ao deputado Rogério Correia para a liberação da verba que proporcionou a finalização da reforma da Locomotiva 51, não pôde participar do evento comemorativo devido ao fato dele ser pré-candidato a vice-prefeito, na chapa encabeçada por Serginho Ribeiro. A legislação eleitoral veda a participação de candidatos em eventos de inauguração de qualquer tipo de obra que tenha sido feita com dinheiro público.


Também na tarde do dia 16 de julho, foram inauguradas as obras de reforma do antigo armazém da Estrada de Ferro Leopoldina (Estação Ferroviária de Porto Novo), com a reabertura do Museu de História e Ciências Naturais de Além Paraíba. O MHCN— dirigido pelo Prof. André Martins Borges— teve seu espaço de visitação ampliado em mais de 250 metros quadrados, passando a ocupar, também, as dependências do extinto CEFEC— Centro Ferroviário de Cultura. O novo espaço do Museu, que fica localizado na estação ferroviária de Porto Novo (centro de Além Paraíba), tornou-se um local moderno e arrojado, digno dos grandes centros culturais espalhados pelo Brasil. O Museu conta com um acervo de registro da memória ferroviária, cinema, biblioteca, arquivo, ponto de cultura e ponto de memória— além de um espaço destinado aos artesãos da cidade, onde os mesmos poderão expor seus trabalhos. Quem tiver interesse é só procurar no local a artista plástica Márcia Bergenes Carvalho Alves.
O Prof. André Martins, diretor do MHCN, em seu discurso de inauguração das obras, fez um agradecimento a todos que comungaram com ele a realização desse sonho: à Prefeitura Municipal de Além Paraíba, pela parceria repassando a André o comando das instalações do extinto CEFEC (cuja galeria recebeu o nome de Prof. Victor José Ferreira, em homenagem ao saudoso lutador pela preservação da memória ferroviária); ao Ministério da Justiça, pela liberação da verba de R$ 265 mil, que proporcionou a grandiosa obra; e ao DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes— que repassou a direção da área não operacional da Estação de Porto Novo aos cuidados do Museu.
Em seguida, Flávio Senra, editor-chefe do Jornal Além Parahyba, ao discursar, agradeceu também a parceria com o grupo Zamboni, que patrocina as atividades do Pop Cine do Museu, pelo qual, segundo Flávio, mais de 6 mil pessoas já foram beneficiadas com a exibição de filmes, totalmente gratuitos, entre elas somam-se quase 600 alunos do JEMG - Jogos Estudantis de Minas Gerais - que tiveram mais um momento de lazer na pausa entre os jogos estudantis.
Quem também compareceu às comemorações foi o chefe da Superintendência Regional de Ensino, Sidilúcio Ribeiro Senra, ex-vereador de Além Paraíba, que, ao se dirigir ao público presente, falou sobre a importância tanto da reforma da Locomotiva 51 quanto da reinauguração do Museu.
Após os discursos, o público pôde curtir a boa música comandada por Clóvis Ferreira - alemparaibano que apesar de não mais residir na cidade fez questão de dar sua colaboração abrilhantando a noite. O popular “Cocó” contou com uma especial participação de seu grande parceiro Julinho “Xodó” (Júlio César Barbosa, diretor da SAPE). Juntos, eles relembraram alguns sucessos da dupla em antigos festivais de música de Além Paraíba. Também se apresentaram no III Além nos Trilhos os músicos Chris Gar— com um variado repertório nacional— e Marco Antonio Bouquard, que fizeram o público soltar a voz, cantando junto com eles.
A noite chegou e os presentes à estação de Porto Novo tiveram uma das mais belas cenas já vistas na cidade— um verdadeiro cartão-postal— quando os prédios dos dois Torreões receberam uma iluminação toda especial, azulada, dando mais charme ao evento. A iluminação esteve a cargo da HLO Produções Artísticas, dos alemparaibanos Guto e Miguel.
Pouco antes do término do evento na estação— reunindo centenas de pessoas— em uma espécie de bar cultural comandando pela equipe do Requinte Buffet— Julio Cesar Barbosa Barbosa, um dos organizadores do III Movimento Além Nos Trilhos chamou ao pequeno palco os "meninos da graxa" José Carlos Faria, “Comendador” Valério Bagulê e José Mauro Cardoso, os grandes responsáveis pela reforma da Locomotiva 51. Jose Mauro fez um breve relato da história da 51, falando do sacrifício que foi para mantê-la na cidade e a alegria de vê-la andando novamente. A recuperação da Maria Fumaça Locomotiva 51 foi um sonho desse três meninos "loucos" que sonharam em vê-la novamente circulando e hoje podem dormir tranquilos com a certeza do dever cumprido. (Da redação, com a colaboração de Soninha Carvalho, repórter do AGORA)

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG
Última modificação em Quinta, 28 Julho 2016 22:23

1 Comentário

  • Link do comentário Gonzales Rodrigues Sexta, 23 Setembro 2016 14:30 postado por Gonzales Rodrigues

    Foi por pouco tempo, mas tive o prazer de trabalhar em Além Paraíba. Nesse curto período fui recebido e abraçado por várias pessoas, pelas quais tenho muito carinho.
    Talvez seja muito forte dizer que tenho amigos -nos dias atuais- em Além Paraíba, porém sou muito grato às oportunidades que todos me deram, às portas que se abriram.
    Além Paraíba faz parte da vida, da minha história. Quando tiver condições vou, com certeza, voltar para rever os amigos.
    Fantástico o retorno da Maria Fumaça Locomotiva 51.
    Parabéns Além Paraíba pelo merecido presente!

    Abraços,
    Gonzales Rodrigues

    Relatar

Deixe um comentário

whatsapp_jornal
alemfitnessdentro
farol
agorajornais
laisclaronutr
nutrição