Cotidiano

Cotidiano (448)

A Copa do Mundo de futebol vai até o dia 15 de julho, período em que o Brasil deve parar por alguns dias para acompanhar a seleção canarinho tentar seu hexacampeonato. Por isso, o brasileiro precisa ficar de olho nos horários das agências bancárias em dias de jogo do Brasil. Pelo fuso horário, muitos jogos serão transmitidos pela manhã, mas alguns também começarão às 15 horas. Segundo informações da Febraban, os horários de funcionamento dos bancos serão os seguintes, considerando o horário de Brasília: Em dias de jogos marcados para as 9h, o atendimento ao público nas agências bancárias será das 13h às 17h; Já nos dias de jogos às 11h, o atendimento ao público será feito das 8h30 às 10h30 e das 14h00 às 16h00; Quando os jogos estiverem marcados para o horário das 15h, o atendimento ao público será realizado das 9h00 às 13h00. Os bancos deverão afixar aviso sobre o horário de atendimento com antecedência de pelo menos 48 horas.

Os órgãos do Poder Judiciário terão horário de funcionamento ajustados nos dias dos jogos do Brasil na Copa do Mundo. Em pelo menos 40 tribunais, inclusive nos tribunais superiores, não haverá expediente no turno em que ocorrerem os jogos. Em todos os casos, nos dias dos jogos da seleção brasileira, os tribunais funcionarão por até seis horas e os prazos processuais serão prorrogados para o dia útil seguinte. No Conselho Nacional de Justiça e no Supremo Tribunal Federal, no dia 22 de junho, quando o Brasil enfrenta a seleção da Costa Rica, o atendimento ao público externo será realizado da uma e meia da tarde às sete da noite. No dia 27 de junho, o atendimento no CNJ ocorrerá das sete e meia da manhã até a uma da tarde. uma vez que o jogo do Brasil contra a Sérvia ocorrerá às três da tarde. A diferença entre a jornada diária normal e os horários especiais para os dias dos jogos será compensada sob supervisão da chefia imediata. Além disso, os servidores poderão optar por cumprir a jornada normal de trabalho. A definição dos horários de funcionamento dos tribunais considera a autonomia administrativa e financeira conferida a cada órgão pelo artigo 99 da Constituição Federal, de maneira que os ajustes sejam realizados conforme a necessidade de cada um. Cada órgão deve editar a própria portaria para informar esses ajustes. A portaria com os horários do CNJ foi publicada no Diário de Justiça de quarta-feira,6.

Para estreitar o relacionamento com a imprensa e apresentar um pouco mais sobre o setor elétrico, os principais investimentos, ações realizadas e também explicar como funciona o processo de reajuste tarifário, Eduardo Mantovani, diretor-presidente, e Fernando Costalonga, diretor Técnico e Comercial, receberam nesta quarta-feira, 20 de junho, os jornalistas da área de concessão. O encontro reuniu também os conselheiros do Conselho de Consumidores da Energisa Minas Gerais.
O evento, uma oportunidade também para conhecer a nova sede da empresa e o Centro de Operações, foi elogiado pelos representantes dos veículos de comunicação, que puderam esclarecer diversas dúvidas sobre o serviço de fornecimento de energia elétrica na região e o processo de composição das faturas de energia.
Um dos principais assuntos abordados foi o índice de reajuste tarifário da Energisa Minas Gerais, homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O efeito médio a ser percebido pelos consumidores será de 12,05%, ou seja, uma elevação tarifária a partir de 22 de junho de 2018. Em resumo, o efeito médio total a ser observado pelos consumidores da Energisa Minas Gerais é majoritariamente formado por componentes da Parcela A, ou seja, componentes que não estão sob gestão da distribuidora.

Eduardo Mantovani também apresentou os investimentos para 2018. Serão R$ 69,7 milhões visando garantir mais confiança, tecnologia e qualidade nos serviços prestados aos clientes, sempre com foco em segurança. Entre as obras e ações, destacam-se: elaboração de projeto e licenças para construção da subestação de Miradouro; reformas e modernizações de subestações; substituição de transformadores e obras de segurança, que consistem na substituição de cabos nus por cabos protegidos.
Outro assunto que chamou a atenção dos jornalistas foi a Tarifa Social de Energia Elétrica, no qual famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal ou que recebem algum dos amparos vinculados ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC podem obter até 65% de desconto na conta de energia. Em Minas, na área de concessão da Energisa mais de 35 mil clientes podem aderir ao benefício. Ações com a comunidade como Zé da Luz na Escola, projeto Nossa Energisa, eficientização energética em prédios públicos, além dos canais de atendimento também foram apresentados à imprensa.

Lembre-se que a Energisa está sempre disponível para atendê-lo. Pelas redes sociais facebook /energisa e twitter @energisa e pelo aplicativo Energisa On. Basta acessar o site da Energisa em www.energisa.com.br e ter acesso aos serviços na palma da sua mão, e também pelo telefone 0800 032 0196.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Sonegação Fiscal e aos Ilícitos contra a Ordem Financeira, Tributária e Orçamentária (GAESF/MPRJ), ajuizou, na segunda-feira (18), ação civil pública (ACP) de improbidade administrativa contra a sociedade empresária Zamboni Comercial Ltda. e outros três réus, em virtude do usufruto irregular de benefícios fiscais sobre ICMS desde 2006.
Tal procedimento causou prejuízo da ordem de R$213 milhões que deixaram de ser colhidos aos cofres do estado, além de lhe garantir uma posição de competitividade muito superior a dos seus concorrentes diretos no mercado de atacadistas, em virtude da redução drástica na carga tributária que a fruição irregular de tais benefícios proporcionou à Zamboni, em prejuízo de outras sociedades empresariais que não o usufruíram.
A ACP requer que a Justiça determine de imediato que o Estado do Rio suspenda os benefícios fiscais concedidos à ré até o trânsito em julgado da ação, além da quebra do sigilo fiscal e a indisponibilidade dos bens móveis, imóveis e ativos financeiros de cada um dos demandados, até o limite de R$213.229.874,07, valor equivalente ao montante a ser restituído ao erário. O MPRJ solicita ainda a penhora das contas bancárias existentes em nome dos citados, inclusive contas de investimento e de aplicação em fundos e previdência privada.
A ação tem como base dois inquéritos civis (de números 2016.01195588 e 2017.00395450), que apontam que, tanto para a concessão do benefício fiscal, quanto para sua manutenção, a Zamboni Comercial contou com a ação e a omissão dolosas da ADERJ (Associação de Atacadistas Distribuidores do Estado do Rio de Janeiro), de Guillermo Gutierrez Hernández, auditor sênior da CODIN (Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro) e de George Andre Palermo Santoro, ex-subsecretário de Receita da SEFAZ-RJ (Secretaria de Estado de Fazendo do Rio de Janeiro).
Aponta ainda a investigação que, para viabilizar a renovação do benefício, a distribuidora agiu de forma fraudulenta, com a emissão de falsos balancetes e abertura de uma suposta filial no município de Sapucaia, seguida de três mudanças de endereço na cidade e até de município, quando se instalou em Duque de Caxias (em outubro de 2017). Aponta o MPRJ que, em todos endereços listados, as instalações verificadas apresentavam estrutura física incompatível com o ramo da distribuição mercantil, que compreende ações como montagem, classificação, agrupamento e envasamento de produtos. As seguidas mudanças de endereço também permitiram concluir ainda que a obrigação de desenvolver atividades econômicas, de maneira contínua e sustentada, foi nitidamente descumprida.
Os relatos detalhados na ACP evidenciam que a empresa ré buscou se instalar nos arredores de Sapucaia com o único propósito de lhe possibilitar pleitear uma redução significativa da carga do ICMS, que deveria lhe ter sido cobrado na totalidade, durante todo o período em que revendeu suas mercadorias no mercado interno fluminense. Para isso, a Zamboni Comercial, que entrega produtos nas categorias de alimentos, limpeza, higiene e beleza e alimentação saudável, não se furtou a fornecer dados falsos sobre a geração de empregos no município de Sapucaia, e valores inverossímeis de arrecadação e faturamento.
Assinada pelos promotores de Justiça Vinicius Leal Cavalleiro, coordenador do GAESF/MPRJ, Karine Susan Gomes de Cuesta e Eduardo Rodrigues Campos, subcoordenadores do mesmo Grupo de Apoio do Ministério Público Fluminense, a ACP requer ainda que a ADERJ seja destituída da função de interveniente de todos os processos de concessão de benefícios e/ou incentivos fiscais, ou minimamente daqueles em que a sociedade empresarial ré, ou as empresas de seu grupo econômico, tenham interesse, direto ou indireto. (Site Campos 24 horas)

A empresa “Canal Comunicação” responsável pela assessoria da Distribuidora Zamboni, enviou e-mail para nossa redação, na noite de ontem, 20 de junho, informando o seguinte:

Nota à imprensa:

O grupo Zamboni informa, através da sua assessoria de imprensa, que cumpre rigorosamente a legislação vigente no Rio de Janeiro, assim como atende a todos os pré-requisitos para participar dos programas de fomento do Governo.

A empresa atua há 47 anos no Estado, tem o seu principal Centro de Distribuição instalado no município de Duque de Caixas (RJ), em uma área de aproximadamente 20 mil metros quadrados e gera cerca de 1.200 empregos, diretos e indiretos.


Sexta, 08 Junho 2018 00:00

ALÉM NO AÇO ACONTECE DOMINGO

Escrito por

A Comissão Organizadora do Encontro de Alemparaibanos de Volta Redonda confirmou a data para realização do evento deste ano. O Além no Aço 2018 vai acontecer domingo, dia 10 de junho, a partir de 10 da manhã, no Clube Náutico, mesmo local em que vem acontecendo nos últimos anos. Este será o 15º encontro e é sempre uma ótima oportunidade para que os amigos, e seus familiares, se reencontrem e matem as saudades dos bons tempos e da terra natal. Como sempre, haverá serviço de bar e restaurante à disposição dos que comparecerem, e não faltara a apresentação de música ao vivo. Aqui em Além Paraíba, está sendo organizado um ônibus especial para levar os alemparaibanos residentes em nossa cidade até o local do encontro. A passagem, com ida e volta incluída custa apenas 15 reais.
Os interessados devem entrar em contato pelo telefone 9-8853-9078 e falar com João Rosa.
(Fonte: Carlos Roberto “Banjo” – rádio 102,7)

18814067_852857504871473_664549609540563781_n.jpg18951210_852862404870983_6907112990730748698_n.jpg18920567_852855331538357_4571764333075645727_n.jpg18892955_852855898204967_4030023216328658033_n.jpg

Em assembleia geral extraordinária realizada na segunda-feira, 28 de maio, com cerca de 30 cooperadores presentes, ficou decidido, após as três convocações obrigatórias por força do edital publicado, por unanimidade pela paralisação as atividades da Cooperativa dos Produtores de Leite de Além Paraíba de Responsabilidade Ltda., bem como pelo início de sua liquidação extrajudicial.
Uma vez que passa por sérias dificuldades, a direção da Cooperalém decidiu apresentar a proposta de paralisaras atividades já que está, segundo seu presidente, o produtor rural James Stewart Villela, insustentável tocar suas atividades com o baixo volume de leite que tem sido enviado pelos cooperados ativos. Vale ainda ressaltar, existe uma dívida junto aos cooperados (não recebem pelo produtor fornecido faz dois meses), fornecedores e bancos que gira entre R$ 450/500 mil, isto sem contar a existência de uma dívida fiscal junto ao Governo do Estado do Rio de Janeiro que, acrescida de juros e correções, deve ultrapassar R$ 10 milhões. A dívida fiscal remonta o final da década de 1990, por volta de1997/1998, valendo ainda registrar a existência de um crédito junto ao Governo Federal na ordem de cerca de R$3,5 milhões (devolução de PIS/Confins).
Uma luz no fim do túnel
Após as explanações efetivadas pelo presidente James Stewart, o advogado Fernando Silva Ferreira e outros, foi salientado a existência do interesse de um grande empresário no sentido de tocar as instalações do laticínio da instituição alemparaibana. Entretanto, para que isso ocorra deverão os cooperados garantirem a entrega de pelo menos 6 mil litros de leite diariamente, bem como a iniciação da liquidação extrajudicial da Cooperalém. Segundo foi salientado no encontro, os cooperados terão a garantia de que irão receber pelo leite fornecido a cada 10/15 dias de sua entrega, uma notícia que entusiasmou os presentes que conhecem e sabem que o dito empresário é possuidor de grande credibilidade junto a classe produtora e empresarial da região. Após um rápido levantamento entre os presentes, chegou-se à conclusão de que pouco mais de cinco mil litros de leite estariam garantidos, sendo que apenas um deles enfatizou que poderia fornecer dois mil litros diários e que faria gestões a outro grande produtor no sentido de que este venha fornecer ao menos outros dois mil litros. Diante das situações apresentadas na assembleia, foi formada uma comissão entre os cooperados presentes que visitarão os produtores rurais cooperados, ativos ou não, no sentido de convencerem que estes voltem a fornecer leite, não à instituição Cooperalém, mas sim ao empresário que está disposto a fazer com que a marca ALÉM volta ter lugar de destaque nas prateleiras de supermercados, mercearias, padarias e na mesa dos alemparai-banos. A comissão ficou formada dos seguintes produtores: Atualpa de Oliveira Milão, Lafayete Marcos Luiz da Cunha, Jorge Luiz Cavaliere, Alencar César Martins Zamboni e, apesar de não estar presente, Aderli José Vieira, atual presidente do Sindicato Rural de Além Paraíba. Até o início deste mês de maio existiam 72 cooperados ativos enviando leite para a Cooperalém. Segundo informações oficiosas, em dezembro do ano passado, entre ativos de inativos o total de cooperados era de cerca de 820produtores. (Fonte: Jornal Além Parahyba)

No dia 18 de maio, o vereador Dione de Castro Miranda esteve presente no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, na cerimônia de entrega de 01 veículo Toyota Etios, para AASA (Associação de Assistência Social Antioquia de Além Paraíba).  Junto com o parlamentar alemparaibano, também estiveram presentes à cerimônia o Pastor Abimael— presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Além Paraíba, que representou a Associação; e o Deputado Federal Lincoln Portela. O veículo, que será de muita importância para a Associação, veio por meio de indicação parlamentar do Deputado Estadual Léo Portela que, mais uma vez, atendeu a um pedido do vereador alem-paraibano Dione Miranda. O vereador agradece o incondicional apoio do deputado, que está  sempre em parceria quando o assunto e conseguir melhorias para Além Paraíba. 

A ACEAP participou, nos dias 28 e 29 de maio, em Brasília, da reunião da CACB - Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, com representantes dos cinco estados do Empreender Convencional. Entre os participantes, estiveram coordenadores estaduais, membros de Federações e Associações Comerciais, consultores, empresários beneficiados pelo projeto e representantes da CACB e do Sebrae. Representando a ACEAP, estiveram a gerente executiva, Alina Gomes, e a presidente da instituição, Rosa Helena Melo Dutra Teixeira, que também representou, ao lado da empresária Cristina Cardoso, o Além Vest Moda. O núcleo lojista ficou em segundo lugar na premiação de melhor núcleo do programa, no ano passado.
Além da troca de experiências e da prestação de contas do Empreender convencional, foi uma chance para as ACEs e Federações, que estão a mais de 2.000 quilômetros de distância e que nunca tiveram a oportunidade de conhecer a sede da Confederação. Além disso, as ACEs estiveram também na sede do SEBRAE nacional.
A missão envolveu os participantes em uma dinâmica, no qual foram divididos em três grupos: coordenadores, presidentes e consultores. A atividade, que foi guiada pelo consultor Gilmar Barbosa, visou a fomentar a reflexão sobre o papel de cada um desses grupos no sucesso do programa Empreender, bem como a influência dele no crescimento profissional de seus integrantes. (Amanda Silveira – ASCOM/ACEAP)



bbb.jpg
Todo o grupo da missão à Brasília.

A empresa Compromisso Ambiental responsável pela coleta de lixo, em Além paraiba, emitiu uma nota, hoje 31 de maio, informando a normalidade em seus serviço. A empresa foi afetada com a greve dos caminhoneiros nos últimos 7 dias. Abaixo segue a nota da Compromisso Ambiental: 
 

A greve dos caminhoneiros que está entrando hoje, 25 de maio, em seu quinto dia, a exemplo do que ocorre em inúmeras cidades do país, já está causando desabastecimento em Postos de Combustíveis de Além Paraiba. Os Postos de Vila Caxias, 3D da Cotril, o Posto Divisa e o Ilha não têm gasolina, desde ontem 24 de maio, e entre os Postos que ainda têm gasolina enquanto um mantêm o seu preço normal outro aumentou para mais de 5 Reais o litro. Os Supermercados, por enquanto, só estão registrando falta de mercadorias no setor de hortifruti. As promoções estão praticamente suspensas devido às mercadorias não estarem chegando.
(Da redação, com informações Carlos Roberto “Banjo” – 102,7)

5d707089-9b86-42a0-bb85-f957c0b3705d (1).jpg
No início da noite, do dia 24 de maio, motoristas enfrentaram uma enorme fila para aproveitar os últimos 4 mil litros de gasolina “Aditivada”, do Posto de Gasolina 3D, localizado próximo ao restaurante Cotril. (Crédito: Rall Brandão Netto)

Pagina 1 de 32