Policiais

Policiais (169)

Nesta data, A POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS, através da 30° Delegacia de Polícia Civil de Pirapetinga, deu cumprimento a Mandados de Prisão Preventiva em desfavor dos autores do Homicídio, A.M.A, 47 anos e J.M.G.A, 21 anos.
O crime teria ocorrido no dia 28 de setembro, na localidade de Água Viva, município de Estrela Dalva.
Através dos trabalhos de investigação que vinha sendo desenvolvido pela Polícia Civil foi possível localizar os autores (pai e filho) que estavam escondidos nas cidades de Argirita e Maripá de Minas.
Os autores não resistiram à prisão. Após as oitivas, foram encaminhados ao Presídio de Leopoldina.

RELEMBRE O CASO:

No dia 28 de setembro de 2018, após uma discussão com um político(vereador)em um bar no distrito de Água Viva, os autores teriam desferido diversos disparos de arma de fogo e na seqüência teria esfaqueado a vítima Claudinei de Oliveira, que tentava defender o vereador. A vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

Equipe Policial que participou da operação:

Delegada de Polícia - Dra. Flávia Granado
Investigadores de Polícia -
Valdenir Telles
Carlos HENRIQUE
Caio Cardoso
Escrivao de Polícia- Carlos Kleber
Sargento Moreira
Cabo Igor

Um caminhão que transportava carga de pneus foi na noite de ontem, 08 de novembro, em Alem Paraíba. O motorista e o ajudando foram feitos de refém. O ajudante foi deixado na em Boa Nova, em Pádua, já o motorista foi feito de refém e obrigado a dirigir para os assaltantes até a cidade de Aperibé.
Policiais Militares do 36º Batalhão de Pádua conseguiram recuperar o caminhão, hoje, 09 de novebro. Segundo policiais, os bandidos estavam em um carro e próximo a Santo Antônio de Pádua, o carro furou o pneus, momento em que o motorista do acelerou o caminhão e conseguiu acionar a policia. O caminhão foi recuperado, próximo ao bairro Pinheiro, em Apetribé.
Foi preso um homem que é morador de Aperibé e apreendido um menor, morador de Pádua. Ambos foram encaminhados para a 136º DP de Pádua, onde o caso foi registrado.
(Da redação, com informações da Policia Militar e site SF Noticias)

Na madrugada do dia 27 de setembro, véspera de feriado municipal, a Polícia Militar de Além Paraíba foi acionada a comparecer no bairro Porto Velho, onde aconteceu o furto de uma caminhonete da marca Mitsubishi L 200, cor branca, placas KXY-6303 de Além Paraíba-MG. O veículo pertence a um empresário, mas a PM não informou o nome do mesmo.
A ação criminosa aconteceu por volta das 4 horas da manhã e teve testemunha. Tal testemunha relatou à polícia que dois indivíduos, que estavam em uma outra caminhonete de cor prata, parada temporariamente na Avenida José Mercadante, desceram do veículo e atravessaram andando até a Rua Dr. Antônio Augusto Junqueira, onde se encontrava a caminhonete que, minutos após, foi furtada. Os dois criminosos fugiram na Mitsubishi, sendo seguidos pela outra caminhonete que lhes dava apoio. Os dois veículos tomaram o rumo do centro de Além Paraíba.
A Polícia Militar realizou o rastreamento, mas não logrou êxito. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Nos últimos dias, mensagens em áudio vêm sendo disseminadas nas redes sociais informando que duas mulheres, em um suposto carro branco, estariam tentando raptar crianças em Além Paraíba, o que vem apavorando pais em toda a cidade e região.
Em decorrência desse estado de pânico, a Prefeitura Municipal de Além Paraíba informou que irá colocar guardas municipais para realizarem ronda nas proximidades dos colégios.
As escolas estão orientando os pais para conversarem com seus filhos, alertando-os, e, sempre que possível, levando-os à porta dos educandários.
Toda essa preocupação teve início na tarde do dia 27 de setembro, quando uma notícia compartilhada através de áudios nas redes sociais, alarmou a população de Além Paraíba. Tal notícia dava conta de que um menino de 12 anos sofreu uma tentativa de sequestro nas proximidades da loja Valore, concessionária Fiat, na Rua Dr. Sobral Pinto (na Vila Laroca). O garoto, em pânico, correu e se abrigou na loja Motobella, revendedora de motocicletas nas proximidades do prédio da Terceira Idade. O Conselho Tutelar foi acionado e ouviu do menino o relato de que havia sido abordado por duas mulheres que estavam no interior de um veículo Volkswagem UP, de cor branca. Uma das mulheres teria tentado segurar o braço do garoto, o que o deixou apavorado.
O Conselho Tutelar confirmou a informação e, seguindo o protocolo, procurou a polícia para registrar o fato.
Na mesma tarde, outra informação de que uma menina também havia sido abordada por duas mulheres em um carro branco circulou nos áudios compartilhados através das redes sociais. A ocorrência teria sido no bairro Jardim Paraíso.
Na noite do mesmo dia— segundo informou o blog de Adenílson Mendes— um fato semelhante aconteceu no Morro São Sebastião, onde duas mulheres em um veículo teriam abordado uma criança do sexo masculino oferecendo-lhe chocolates. “Como a criança não aceitou, teria ouvido uma das mulheres dizer: atira nele então”— relatou o blog de notícias policiais da cidade. O segundo e o terceiro ocorrido não foram registrados na polícia.
Um outro caso de possível tentativa de rapto de menor voltou a acontecer por volta de 11h30min da manhã do último dia 1 de outubro, segunda-feira. O fato foi confirmado em um grupo de whatsapp pela mãe do garoto de apenas 12 anos. O menino havia acabado de sair da Escola Municipal La-Fayette Côrtes, quando foi abordado por duas mulheres em um carro de cor clara, na Rua São Geraldo. O garoto ficou apavorado e chegou em casa também em pânico, abalado, relatando a história para a mãe.
Todos esses casos foram exaustivamente compartilhados nas redes sociais e deixaram apavorados os pais alemparaibanos.
Diante de todo o alarde gerado pela disseminação das mensagens nas redes sociais, o comandante da Polícia Militar de Além Paraíba, Capitão Amarildo de Sá Ferreira, gravou um áudio, divulgado na tarde do dia 2 de outubro, tranquilizando a população, dizendo que a polícia prossegue investigando, analisando caso a caso e que não se pode falar em sequestro ou rapto porque em nenhum dos relatos as ações foram concretizadas. O capitão também revelou que já se reuniu com o delegado de polícia, com o juiz e promotor da Comarca, a respeito do assunto e assegura que não há em qualquer dos casos relatados pelas crianças, “nenhum indício de verdade ou realismo que possa levar a polícia a concluir que houve, de fato, alguma tentativa de sequestro”. Em um dos casos, afirma o Capitão Amarildo, um dos menores foi abordado apenas para lhe ser “solicitada uma informação”.
O comandante local da PM ainda faz um apelo à população, para que “tome um cuidado muito grande com o que compartilha nas redes sociais “pois isso pode causar um pânico muito grande na comunidade, de forma desnecessária”.
Embora as palavras do policial tenham sido com o objetivo de tranquilizar a população, os pais das crianças envolvidas nos relatos de possíveis tentativas de rapto ficaram revoltados pela forma simplista com que o comandante da PM tratou o assunto, sem dar esclarecimentos sobre o que de fato aconteceu. “Se existem imagens de câmeras de segurança, por que não se verificam as placas dos carros, para saber de fato quem são essas pessoas”— indaga um pai. Segundo o relato de dois pais, que publicaram seus áudios na internet, seus filhos estão traumatizados com o ocorrido e sequer querem ir à escola com medo da situação voltar a ocorrer.

Depois de seis meses e meio internada na UTI do Hospital São Paulo, em Muriaé, faleceu no início da tarde do último sábado, 22 de setembro, a estudante Letícia Zamboni, de apenas 15 anos. A jovem era filha de Elisângela Zamboni e do barbeiro Roberto (proprietário de um salão no beco ao lado da Ótica Kell, em Porto Novo). Letícia era aluna do 1º ano do Ensino Médio do Colégio dos Santos Anjos de Além Paraíba. Ela e sua mãe sofreram um atropelamento por um ônibus urbano da Viação Treze de Junho (ex-TAP), no dia 6 de março deste ano, entre o Terminal Rodoviário Jácomo Donzeles e o antigo Terminal Integração. O motorista do ônibus 1306— Boiadeiro/Cantão— fez uma curva com o veículo pegando a via de acesso ao Terminal Rodoviário. As vítimas foram colhidas pelo coletivo urbano quando atravessavam a faixa de pedestres. A mãe, Elisângela, sofreu escoriações pelo corpo e fratura de um braço. Já a adolescente Letícia, que sofreu uma violenta pancada e foi parar debaixo do ônibus, teve traumatismo craniano e necessitou ser levada com urgência para o Hospital São Paulo, em Muriaé. A estudante ficou em coma por vários meses e, quando a família contava com sua recuperação (segundo uma pessoa ligada à família ela já estava abrindo os olhos), veio a triste notícia do falecimento no último dia 22 de setembro. A notícia deixou consternados familiares e amigos da jovem, principalmente os que com ela conviveram no Colégio dos Santos Anjos.

1630a458-9cef-4528-9ed9-6a5c441077dc.jpg

Moradores da Ilha Gama Cerqueira, que moram nas proximidades do “Arco da Ponte” e Ilha Marambaia— em Além Paraíba/MG— assustaram-se, por volta das 23h10min, de ontem, 20 de setembro, quando escutaram um forte barulho. Com o susto os moradores saíram de suas casas para saber o que tinha acontecido. Ao chegaram ao local, ouviram gritos de socorro e avistaram um veículo que estava dentro do Rio Paraíba. No interior do carro, havia uma pessoa, o motorista Oduvaldo José Correia Souza, de 52 anos. Ele perdeu o controle do carro que dirigia na rodovia BR 116, bateu no muro de proteção da ponte Engenheiro Régis Bittencourt (que divide os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro) e caiu cerca de 40 metros, dentro do Rio Paraíba do Sul.

Em meio à escuridão, Oduvaldo foi socorrido por populares moradores da Ilha Gama Cerqueira e foi retirado de dentro do veículo. Estiveram no local, participando do resgate, a equipe do SAMU de Além Paraíba e o Corpo de Bombeiros do município de Carmo/RJ. Ali mesmo, ao verificarem ausência de sinais vitais da vítima foram realizadas várias tentativas de ressuscitação cardiopulmonar. Não obtendo êxito, a vítima foi imobilizada e transportada pela equipe do SAMU até o Hospital São Salvador de Além Paraíba, porém foi constatado o óbito pela equipe médica.
Oduvaldo, conhecido pelo apelido de “Té”, era morador no bairro Barão, em Jamapará, Sapucaia. Tinha 52 anos, era casado com Ana Cláudia e tinha duas filhas e um filho. “Té” havia sido funcionário da Garcia Atacadista por muitos anos e, atualmente, trabalhava por conta própria, conforme informações de uma pessoa da família ao Jornal AGORA.
O corpo de Oduvaldo foi levado na manhã de hoje, dia 21 de setembro, para o IML de Teresópolis (RJ), onde passará por autópsia. Ainda não se sabe o horário da liberação e retorno do corpo para o velório.

c7d8773d-0aa6-4339-9db2-e0bc110ce138.jpg



ba18b604-2c39-4195-92e9-2ac0b93096d0.jpg
Momento em que os moradores começaram o resgate. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Policiais prenderam, na manhã de hoje, segunda-feira, 03 de setembro, na Rua Agenor Cateano, bairro Morro do Cipó, em Além Paraíba,  Lohran Martins Cândido, de 21 anos, acusado de homicídio.
Lohran e a namorada, Mara Muniz Rosa, 28 anos, estavam morando em uma casa abandonada cerca de dois meses. Lohran disse ao chegar em casa começou a discutir com a companheira, perdeu o controle e começou a agredi-la. Lohran disse também que estava desconfiado de uma traição por parte da namorada, pois ele teria visto um homem saindo da casa em que eles moravam. Lohran foi encontrado pelo próprio pai, em um matagal no bairro Morro do Cipó.
Informações repassadas a nossa redação dão conta que a vitima, Mara Muniz Rosa, teve marcas de estrangulamento e uma marca de golpe efetuada por cabo de vassoura na altura do pescoço; perfuração no crânio, possivelmente causado por um tijolo e perfurações de garfo no corpo.
Lohran estava com um mandado de prisão em aberto por Vítima por Cárcere privado. Mara Muniz Rosa é moradora da cidade do Carmo. Policiais estão em contato com a família da moça. Loran é morador do bairro Morro do Cipó.

 

40802744_1269552573185875_6507653147463254016_n.png

Segunda, 23 Julho 2018 00:00

Casa pega fogo no Morro da Conceição

Escrito por

Por volta de 01h40min, do domingo, 22, O Corpo de Bombeiros de Além Paraíba, foi acionado via pelotão de Leopoldina para atendimento em um incêndio em residência, na rua Maria Francisca, Morro da Conceição. No local tratava-se de um princípio de incêndio que se deu no quarto, sendo debelado pelos próprios vizinhos antes da chegada da Guarnição Bombeiro Militar que após avaliação verificou a segurança do local e que foi queimado uma cama, um colchão, uma cômoda, um aparelho de som e roupas de cama e a pintura interna ficou danificada com o produto a combustão. A Guarnição munida de EPI efetuou o rescaldo e avaliou o imóvel que não sofrera danos estruturais. Segundo relato do proprietário o incêndio foi acidental por uso de cigarro na cama. Onde o mesmo dispensou o acionamento de uma viatura policial.  (Corpo de Bombeiros de Além Paraíba)

88d318a3-3514-4f61-8f03-d0f418f89770.jpgee255d58-b20d-41b2-acca-659a3830ecd1.jpgd902a0f0-d2bb-4920-94d0-63325c3d5c27.jpgaa8511b9-000f-46f9-9fd2-6fefbdaa6986.jpg

O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) Jonas Lopes Junior, e seu filho, Jonas Lopes Neto, terão que devolver R$ 13,3 milhões aos cofres públicos, de acordo com determinação do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A decisão segue o que havia sido combinado no acordo de colaboração premiada de Lopes, que forneceu informações que levaram a prisões de outros conselheiros do TCE-RJ e de empresários do transporte público, nas operações Quinto do Ouro e Ponto Final.
O esquema descoberto pelas investigações previa a concessão de decisões favoráveis no Tribunal de Contas em troca de pagamentos mensais de ao menos R$ 50 mil e funcionou entre 1999 e 2016. O Ministério Público Federal (MPF) apontou que os crimes cometidos foram corrupção, evasão de divisas, organização criminosa e lavagem de ativos.
Jonas Lopes foi condenado ainda a sete anos de prisão, sendo um ano e meio de prisão domiciliar em um imóvel rural em Além Paraíba, Minas Gerais, sob monitoramento eletrônico. Depois desse período, ele vai prestar dois anos e seis meses de serviços comunitários na mesma cidade, durante 15 horas semanais, passando fins de semana e feriados em casa. Ao fim, ele terá três anos de regime aberto, com comprovação mensal de atividades.
O advogado Jonas Lopes Neto terá que cumprir três anos de prestação de serviços à comunidade, também por 15 horas semanais.
A mesma sentença também traz punições para o empresário Álvaro Novis, que terá que devolver R$ 17 milhões aos cofres públicos, em dez parcelas de R$ 1,7 milhão. O doleiro terá que cumprir ainda cinco anos e seis meses de prisão, sendo seis meses em regime fechado, que já foram cumpridos no período de prisão preventiva. Além disso ele terá um ano e seis meses de prisão domiciliar e prestação de serviços à comunidade por 40 horas semanais durante mais três anos e seis meses.
Já Jorge Luiz Mendes foi condenado a pagar R$ 460 mil e cumprir cinco anos de reclusão em regime semiaberto. Outro réu no mesmo processo era Edimar Moreira Dantas, que recebeu perdão judicial. Segundo a decisão, sua participação no crime teve menor importância e sua colaboração foi relevante para o esclarecimento dos fatos.
O dinheiro devolvido será depositado em uma conta judicial e ficará sob guarda da Justiça Federal até ter outra destinação. (Site Istoé) 

Uma tentativa de roubo a uma carga de cigarros na rodovia BR-116, na manhã desta segunda-feira (25), terminou com tiros e a apreensão de um veículo Toyota Hilux, placas de Belmiro Braga, com registro de roubo.

Segundo as informações obtidas pela Reportagem do Jornal O Vigilante, que esteve no local, criminosos em um veículo interceptaram uma van carregada com cigarros e anunciaram o assalto. Eles ordenaram que o motorista seguisse até uma estrada de chão às margens da rodovia, nas proximidades de São Domingos, em Santo Antônio do Aventureiro. Equipes do Serviço Reservado da Polícia Militar de Leopoldina e Além Paraíba já faziam o acompanhamento da ocorrência e abordaram o Toyota Hilux, momento em que houve o tiroteio. 

De acordo com a PM, os criminosos conseguiram deixar a estrada de chão em direção à rodovia, atravessaram o veículo na pista e pararam um automóvel que seguia sentido Além Paraíba com seus dois ocupantes, um casal, ordenando-lhes que saíssem do veículo. Os assaltantes estavam feridos e fugiram sentido Além Paraíba. 

A reportagem apurou que uma Frontier Azul, que também teria participação na tentativa de roubo ao veículo de cigarros, seguira em direção a Leopoldina. Os dois ocupantes da van, de Leopoldina, e o casal que teve o carro roubado, residente em Bom Jesus, próximo ao município de Muriaé, não se feriram.  

Uma operação envolvendo as Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal está em andamento para capturar os autores. Um helicóptero da Polícia Militar foi acionado e sobrevoa a região. 






Na estrada rural, o local no qual a Polícia Militar se confrontou com os assaltantes, onde a van havia sido levada pelos assaltantes.
(Fonte: O Vigilante Online)
Pagina 1 de 13