Quinta, 13 Janeiro 2022 17:45

Defesa Civil diz que chuvas darão trégua a partir de hoje, 13

Escrito por
Defesa Civil diz que chuvas darão trégua a partir de hoje, 13

No último dia de 11 de janeiro, uma árvore caiu no Limoeiro, próximo à ponte que liga a Praça da Bandeira à Ilha do Lazareto, obstruindo o escoamento do Rio. O Secretário de Obras Plínio Moreira esteve no local com uma equipe de trabalhadores e máquina da Prefeitura de Além Paraíba. O Rio Limoeiro foi desobstruído por volta de 15h30min.No último dia de 11 de janeiro, uma árvore caiu no Limoeiro, próximo à ponte que liga a Praça da Bandeira à Ilha do Lazareto, obstruindo o escoamento do Rio. O Secretário de Obras Plínio Moreira esteve no local com uma equipe de trabalhadores e máquina da Prefeitura de Além Paraíba. O Rio Limoeiro foi desobstruído por volta de 15h30min.

 

Ao final da noite de ontem e na madrugada de hoje, 13 de janeiro, novamente uma forte chuva se abateu sobre a região. As águas do Limoeiro voltaram a subir e a ponte que liga Praça da Bandeira à Ilha do Lazareto, foi danificada com o solapamento das águas. Um buraco se formou no piso da ponte (próxima ao Magnata). Em função do risco, a Prefeitura de Além Paraíba resolveu interditar o local. Segundo a coordenadoria da Defesa Civil, é preciso esperar que o tempo se estabilize para que se possa verificar a extensão dos danos e a correção do problema com as obras necessárias. Só então, a ponte será liberada para o tráfego de veículos. Enquanto isso, os motoristas que trafegam entre São José e Porto Novo deverão utilizar a Vila Laroca como passagem. (Crédito: Venilton Ribeiro)Ao final da noite de ontem e na madrugada de hoje, 13 de janeiro, novamente uma forte chuva se abateu sobre a região. As águas do Limoeiro voltaram a subir e a ponte que liga Praça da Bandeira à Ilha do Lazareto, foi danificada com o solapamento das águas. Um buraco se formou no piso da ponte (próxima ao Magnata). Em função do risco, a Prefeitura de Além Paraíba resolveu interditar o local. Segundo a coordenadoria da Defesa Civil, é preciso esperar que o tempo se estabilize para que se possa verificar a extensão dos danos e a correção do problema com as obras necessárias. Só então, a ponte será liberada para o tráfego de veículos. Enquanto isso, os motoristas que trafegam entre São José e Porto Novo deverão utilizar a Vila Laroca como passagem. (Crédito: Venilton Ribeiro)

O início de 2022 tem sido marcado por chuvas constantes na maior parte do Brasil.

De acordo com pesquisadores, os fatores naturais do verão combinados com o fenômeno La Niña e um Atlântico Tropical mais quente explicam, em parte, o volume de chuvas que causaram - e seguem causando - diversos transtornos no país.

Essas fortes chuvas que vêm caindo sobre grande parte da região sudeste do país têm feito estragos e causando medo na região de Além Paraíba. As cidades de Volta Grande, Estrela Dalva, Pirapetinga (MG); Sumidouro e Pádua (RJ) foram as mais afetadas. Além dessas cidades citadas acima, o 3º distrito de Carmo, Porto Velho do Cunha também sofre consequências da chuvas por conta das cheias do rio Paraíba do Sul.

A reportagem do Jornal AGORA fez contato nesta manhã, de 13 de janeiro, com o Coordenador da Defesa Civil de Além Paraíba, Paulo Henrique Nunes, que nos informou que, na cidade de Além Paraíba, por conta das chuvas incessantes desde os últimos dias de 2021, aconteceram alguns deslizamentos de encostas (barreiras) na Zona Rural, com a obstrução de estradas.

No perímetro urbano também houve alguns transtornos, como no bairro Goiabal. No local, houve um deslizamento atingindo o meio-fio de uma rua, felizmente sem ferir ninguém.

Paulo Henrique Nunes informou que, por conta das chuvas, foi preciso realizar a interdição de algumas residências que vinham oferecendo risco, "por conseqüência de má conservação das casas"- destacou o coordenador da Defesa Civil. "É preciso que seja feita a manutenção das referidas residências, pelos proprietários".

RIO PARAÍBA

 

O Coordenador da Defesa Civil disse ao Jornal AGORA que o Rio Paraíba do Sul atingiu a sua vazão máxima na madrugada desta quarta-feira, que foi de 2.340 m³/s.

Reflexo da chuva na madrugada na região de Três Rios e Juiz de Fora, que ocorreu nesta noite de 13 de janeiro, a vazão do Rio Paraíba do Sul voltou subir.

O Rio Paraíba do Sul está com vazão de 1.863 m³/s. Leitura das 13h25min de hoje, 13 de janeiro.

As chuvas devem dar uma trégua a partir desta quinta-feira, 13 de janeiro. As áreas de instabilidade enfraquecem e o sol volta forte, com possibilidades de breves pancadas de chuva ao entardecer.

Chuvas na região

Volta Grande, Estrela Dalva e Pirapetinga

As cidades de Volta Grande, Estrela Dalva, Pirapetinga (MG), tiveram ruas e praças alagadas e, como consequência, muitos prejuízos materiais. Não há registros de pessoas feridas devido às chuvas dos últimos dias. Entretanto houve vários deslizamentos de encostas com conseqüente interdição de casas. Também houve várias estradas obstruídas devida a queda de barreiras e árvores.

Cidade de Volta Grande. (Crédito: Lívia Souza)Cidade de Volta Grande. (Crédito: Lívia Souza)

Cidade de Estrela Dalva. (Crédito: Facebook Prefeitura de Estrela Dalva)Cidade de Estrela Dalva. (Crédito: Facebook Prefeitura de Estrela Dalva)

Cidade de Pirapetinga. (Crédito: Facebook Pirapetinga Notícias)Cidade de Pirapetinga. (Crédito: Facebook Pirapetinga Notícias)

Santo Antônio de Pádua

 Rio Pirapetinga, que margea a divisa entre os municípios de Santo Antônio de Pádua (RJ) e Pirapetinga (MG). (Crédito: SFNotícias)Rio Pirapetinga, que margea a divisa entre os municípios de Santo Antônio de Pádua (RJ) e Pirapetinga (MG). (Crédito: SFNotícias)

Em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, foram contabilizadas mais de 4.100 pessoas desalojadas e 23 desabrigadas por causa das cheias do Rio Pomba.

Segundo a prefeitura de Pádua, a maioria das ruas está alagada.

As estradas que foram bloqueadas por causa de deslizamento de terra já foram liberadas.

O Corpo de Bombeiros realizou, aproximadamente, 280 atendimentos relacionados às chuvas desde sábado. Não há registro de mortos até o momento.

Sumidouro
Um dos vídeos feito durante a chuva, mostra pessoas vendo a água descer pela encosta da rodovia em Sumidouro — Foto: Reprodução redes sociaisUm dos vídeos feito durante a chuva, mostra pessoas vendo a água descer pela encosta da rodovia em Sumidouro — Foto: Reprodução redes sociais

A forte chuva que atingiu o município de Sumidouro, na Região Serrana do Rio, causou mais transtornos na tarde desta terça-feira, 11 de janeiro. A tempestade durou cerca de uma hora, a Defesa Civil registrou dois deslizamentos de terra, um no centro e outro no bairro Serra.

A estrada que dá acesso a localidade de Boa Vista, zona rural da cidade, teve um trecho arrancado pela força da água.

Um vídeo feito durante a chuva mostra uma cachoeira com a água barrenta saindo da encosta em direção a RJ-148 no Km 6, em Pontilhão. — Foto: Redes Sociais

Segundo a Defesa Civil, por causa da força da água, o trecho ficou com o trânsito suspenso por um tempo, mas depois foi liberado.

Parte da estrada vicinal de Dona Mariana cedeu.

Ainda segundo a Defesa civil, não há registros de feridos, desalojados ou desabrigados.

(Da redação do Jornal AGORA, com informações do Jornal Extra, Globo Rural, site Rádio Band News, Site Plantão dos Lagos e Venilton Ribeiro, da Rádio Cultura de Porto Novo)

Informações adicionais

  • Cidade:Além Paraíba - MG