Cotidiano

Cotidiano (670)

Faleceu no dia 29 de abril, aos 74 anos, a estilista e modista Maria do Carmo Incerti. Maria do Carmo, carinhosamente conhecida como Lelete pelas pessoas mais íntimas, era proprietária do Atelier Marie Noivas, que ficava localizado na Praça da Bandeira. Ela era natural da cidade do Carmo e veio para Além Paraíba para estudar no Colégio dos Santos Anjos e aqui formou sua família.
Maria do Carmo foi casada com o Sr. José Incerti, falecido em 2009, com quem teve duas filhas: Marta e Marcela que lhes deram quatro netos— Mell, Pietra, Estêvão e Esther.
Maria do Carmo, apesar de nunca ter tido aulas de corte e costura, tornou-se uma das maiores estilistas e modistas de Além Paraíba e região, confeccionando roupas para noivas, madrinhas, damas. Seu aprendizado foi ao lado da modista Dona Zilda.
O atelier Marie Noiva nas últimas três décadas foi referência em moda noiva, sendo inclusive, no início, o único da região.
Maria do Carmo sempre apoiou os concursos de beleza realizados em Além Paraíba, vestindo as candidatas sem cobrar nada. Devido à sua vasta experiência no mundo da moda, era sempre convidada a ser jurada de tais concursos. Foi também uma grande parceira e amiga do Jornal AGORA, desde 2006, na realização dos concursos de Miss Exposição (adulto e infantil), sempre com disponibilidade e carinho, cuidando dos detalhes das roupas de cada candidata, combinando os vestidos com calçados e acessórios, sem fazer distinção entre as concorrentes.
Não foi só no mundo da moda que Maria do Carmo se destacava. Era também uma mulher religiosa e sempre tinha uma palavra de ânimo e esperança. Era evangélica. Sua dedicação em falar de Deus para as pessoas a tornou ainda mais especial para muitos.

São constantes as reclamações por parte de usuários do transporte público municipal, principalmente com relação ao passe livre para os idosos. A Lei Federal de Nº 10 741, que cria o estatuto do idoso, em seu artigo 39, diz que “aos maiores de 65 (sessenta e cinco) anos fica assegurada a gratuidade dos transportes coletivos públicos urbanos e semi-urbanos” e garante que, para ter acesso à gratuidade, basta que o idoso apresente qualquer documento pessoal que faça a prova de sua idade.
Segundo inúmeras reclamações que chegam ao JORNAL AGORA e também através de postagens nas redes sociais, em Além Paraíba o estatuto do idoso não está sendo respeitado. Conforme os reclamantes, a empresa Treze de Junho— concessionária dos transportes públicos no município— tem exigido que os idosos apresentem um documento (cartão) próprio da empresa, contrariando a Lei Federal que garante que basta o idoso apresentar qualquer documento pessoal, com foto, que prove a sua idade.
Em uma conversa informal com a reportagem do Jornal AGORA, o gerente da empresa Treze de Junho, Anderson Sandri, disse que tais reclamações não procedem e afirmou que os funcionários são orientados a obedecerem aos critérios da Lei Federal: “Para ter o acesso livre nos ônibus urbanos, o idoso acima de 65 anos precisa apenas apresentar um documento de identidade com fotografia”— assegurou o gerente da Treze de Junho.

A Prefeitura Municipal de Além Paraíba programou, através da Secretaria de Obras do Município, um trabalho que envolve a ampliação e reforma da  rede de iluminação pública da cidade. Com um custo estimado em 496 mil reais, através de licitação, foi contratada a empresa CARTO,  que  fará a revisão e reforma de toda a rede existente, além de promover a ampliação do serviço de iluminação pública em diversos logradouros na área urbana, no Distrito de Angustura e nos povoados, com a instalação de postes, cabeamento e equipamentos de iluminação. As obras que deverão ser iniciadas nos próximos dias, estão programadas para atender as necessidades de 57 logradouros e segundo informou o Secretário de Obras Levindo Tarciso Dias, encontra-se em “fase de aquisição dos suprimentos necessários à execução do serviço”. Os logradouros programados para receber as intervenções são as praças, várias ruas e avenidas da área urbana além de localidades da zona rural no Aterrado, em Marinópolis e em Angustura. (Geraldo Vanini- ASCOM PMAP)


Estação de Fernando Lobo. Foto de Carlos Moura


Desde que a antiga Rede Ferroviária Federal-RFFSA foi extinta, a posse do patrimônio histórico ferroviário foi envolvido em muita polêmica. Em 2004, o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) tomou para si tais imóveis que, a cada dia, vêm se deteriorando, sem nenhuma ação de recuperação. Este é o caso de alguns imóveis pertencentes ao patrimônio histórico ferroviário do município de Além Paraíba.

Em governos passados— e até na atual gestão de Fernando Lúcio Donzeles— as justificativas para o impedimento do poder público municipal fazer obras de reparos ou recuperação nestes imóveis foi sempre o fato dos mesmos pertencerem à UNIÃO, desta forma as prefeituras não poderiam dispender verbas para reformar patrimônios do Governo Federal.
Recentemente, uma decisão do IPHAN deu uma luz nova ao caso, pelo menos com relação a dois importantes imóveis ferroviários situados em Além Paraíba: a Estação Ferroviária de São José (primeira estação ferroviária da antiga Leopoldina) e a Estação de Fernando Lobo (antiga estação do Pântano)— ambas inauguradas em 10 de outubro de 1874 pelo então Imperador D. Pedro II. Esses dois imóveis passaram, no início deste ano 2015, para a responsabilidade da Prefeitura Municipal que, a partir de agora, tem carta branca para fazer as obras de recuperação dos antigos prédios. Porém, não se sabe se o município terá recursos próprios para executar este necessário trabalho.
No caso da Estação de São José— onde há mais de dez anos é abrigado o acervo de um museu ferroviário da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária)— o grande problema, que levou ao fechamento temporário do museu (dentre outras circunstâncias adversas) era a precariedade do telhado. A cobertura de telhas apresentava desníveis e goteiras que chegavam a ameaçar o acervo ali abrigado. A ABPF, com a colaboração de alguns “amigos ferroviaristas” (simpatizantes da causa) conseguiu recursos para a reforma do telhado. Segundo informou o Secretário Municipal de Desenvolvimento e Cultura, Rogério Lobo a Prefeitura de Além Paraíba, em breve, vai fazer recuperação da porta principal do Museu Ferroviário, para que ele possa ser reativado.
Com relação à Estação Ferroviária de Fernando Lobo, o Secretário Rogério Lobo disse ainda não haver projetos para a reforma daquele imóvel. Por enquanto técnicos da PMAP estão fazendo uma avaliação do que será preciso fazer em termos de recuperação daquele patrimônio histórico.

Torreões de Porto Novo continuam sem solução

A reportagem do Jornal AGORA aproveitou a entrevista com o Secretário de Desenvolvimento e Cultura, Rogério Lobo, para saber, também, a respeito dos torreões da Estação de Porto Novo. Rogério revelou que este é um caso mais complicado. O imóvel não pode ser repassado pelo IPHAN à Prefeitura, pois há um impedimento legal, já que tal patrimônio histórico é alvo de uma ação judicial movida pela ONG “Águia Verde”. Essa ONG, há alguns anos atrás, entrou na Justiça contra a UNIÃO, a Caixa Econômica Federal e até mesmo contra o município de Além Paraíba, pedindo que os torreões—entre outras ações—sejam restaurados. A ação da ONG “Águia Verde” teve uma resposta positiva— pelo menos em parte— já que a Caixa Econômica Federal foi obrigada judicialmente a fazer o escoramento dos históricos prédios que, assim, ficaram um pouco mais resguardados em sua deteriorada estrutura. Como a ação ainda permanece na Justiça, é preciso aguardar a decisão final. O Secretário Municipal de Desenvolvimento e Cultura, Rogério Lobo fez uma dramática revelação à reportagem do Jornal Agora: “Não é interesse da Prefeitura Municipal de Além Paraíba tomar para si a responsabilidade pelos torreões de Porto Novo”. Rogério Lobo foi além: disse que isso “seria um presente de grego”, pois se aqueles imóveis forem passados para a Prefeitura, a mesma terá que assumir a responsabilidade de sua restauração. No entender do Secretário de Desenvolvimento e Cultura, financeiramente essa é uma tarefa” impossível aos cofres públicos municipais, já que demandaria vários milhões de reais”.

 

Na noite de segunda-feira, 01 de junho, um adolescente de 16 anos morreu quando participava com alguns amigos de uma partida de futebol na quadra do SESI, na Ilha do Lazareto, em Além Paraíba. A princípio, os colegas que jogavam bola com ele pensaram que o jovem, Caíque Magalhães, estudante da Escola Estadual São José, estava tendo um ataque epilético. A situação foi presenciada por várias outras pessoas, que se encontravam no pólo universitário da UNOPAR, também sediado no SESI. Populares acionaram o SAMU, porém, segundo relatos de algumas pessoas, através das redes sociais, a ambulância demorou a chegar. Caíque pode ter sido vítima fatal de um infarto ou mesmo um Acidente Vascular Cerebral. Ele foi levado para o Hospital São Salvador, porém não resistiu e faleceu.
A reportagem do Jornal AGORA fez contato com o Hospital São Salvador mas foi informada, por um funcionário, que a direção do HSS baixou uma ordem para que nenhuma informação a respeito de ocorrências naquele nosocômio seja repassada à imprensa- o que foi uma surpresa, já que o hospital nunca deixou de comunicar corretamente as situações que se tornam notícias para os veículos de comunicação locais.
Segundo informaram alguns amigos de Caíque, através do Whatsapp do Jornal Agora, o adolescente- que residia no Morro da Conceição- costumava se reunir com "colegas de bola" toda segunda-feira, para jogar futebol.
Conforme informações do vereador Dauro Machado, amigo da família, Kaique foi vitima de Traumatismo Craniano. O rapaz teria se chocado com outro jogador, durante a partida de futebol, tendo caído de costas, batendo a cabeça no chão de cimento da quadra.
Kaique Yuri era filho de Gisele Ribeiro do ex-presidente da União da Colina, Flávio Magalhães, o Flavinho.
O velório está acontecendo na casa dos Avós Flávio e Mariléia, no Morro da Conceição, e o sepultamento ocorre nesta terça feira, 16 horas, no Cemitério Municipal.

 


No último dia 7 de maio, na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Educação de Além Paraíba, aconteceu a Aula Inaugural do Projeto Artes e Ofícios. O projeto é fruto de uma parceria da Secretaria de Educação com o CEFET de Leopoldina e tem como objetivo preparar, com aulas semanais, alunos do 9º ano da Escola Municipal La-Fayette Côrtes que apreentaram interesse em participar do processo seletivo para o ingresso no Ensino Médio daquela instituição federal.
A Aula inaugural contou com a presença do Prefeito Fernando Lúcio, do coordenador do projeto, professor Cesar Nogueira Gesualdo e do monitor da turma, Jorge Lucas Cassaro, que é aluno do curso de Engenharia do Cefet e ex-aluno do La-Fayette. Também esteve presente a diretora da escola, Profª Elisameire Ferreira Esquerdo da Silva.
A Secretária de Educação, Luciana Galhardo não pôde comparecer por estar participando de um congresso em Belo Horizonte. (FONTE: ASCOM PMAP)

A Prefeitura de Além Paraíba recebeu 303 mil, 861 reais e 46 centavos do governo do estado a título de repasse líquido da cota-parte do IPVA no último mês de abril. O acumulado no 1º quadrimestre atingiu 3 milhões, 171 mil, 235 reais e 51 centavos. O total arrecadado no ano passado alcançou 3 milhões, 826 mil, 716 reais e 69 centavos. Os dados estão disponíveis no site do governo de Minas www.fazenda.mg.gov.br

A Prefeitura de Além Paraíba recebeu 790 mil, 963 reais e 60 centavos  do governo do estado a título de repasse líquido da cota-parte do ICMS no último mês de março.  O acumulado nos primeiros 4 meses doa ano atingiu 3 milhões, 113 mil, 217 reais e 92 centavos. O total arrecadado no ano passado alcançou 8 milhões, 961 mil, 922 reais. Em  2013 o repasse de ICMS havia atingido   6 milhões, 353 mil. 505 reais.  Os dados estão disponíveis no site do governo de Minas www.fazenda.mg.gov.br

No mês de abril deste ano, a Prefeitura de Além Paraíba recebeu 683 mil, 640 reais e 67 centavos  a título de repasse do FUNDEB, efetuado pelo Governo Federal. O acumulado no primeiro quadrimestre chegou a 3 milhões, 36 mil, 454 reais e 14 centavos.  No ano passado, o total acumulado de janeiro a dezembro alcançou 8 milhões, 211 mil, 474 reais e 25 centavos. Pela legislação, 60% dos recursos do FUNDEB devem ser aplicados na remuneração dos profissionais do magistério em efetivo exercício de suas atividades no ensino público e os 40% restantes devem ser aplicados na manutenção e desenvolvimento das escolas.

A Prefeitura Municipal de Além Paraíba continua os trabalhos de construção da Quadra Poliesportiva, na localidade de Fernando Lobo, aguardando apenas o repasse do restante da verba do Governo Federal através do FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, para a conclusão da obra.
A Prefeitura de Além Paraíba já aplicou no projeto, que vem sendo realizado pela empresa Construtora Neiva Ltda, da cidade de Pirapetinga – MG, a importância de R$ 239.500,14 reais, já repassados pelo FNDE, construindo a estrutura metálica, as arquibancadas, 02 vestiários e banheiros com acessibilidade para pessoas portadoras de necessidades especiais.
Com prazo de conclusão previsto para o final do mês de setembro de 2015, e edificada dentro de uma área de 1.710 metros quadrados, de propriedade do Município, com uma cobertura metálica de 1.114 metros quadrados, a quadra com 27m X 16 m encontra-se em fase final de execução, faltando realizar as obras de aplicação dos pisos, instalações hidráulicas, e obras em seu entorno que receberá, com recursos próprios do município, a construção de uma mureta de alvenaria com alambrado de proteção.
A Prefeitura pretende também promover, provisoriamente, a reforma da ponte de acesso ao local, com aplicação de balaústres de proteção e reforço em suas cabeceiras. Já em fase de detalhamento de projeto, uma outra ponte, com extensão de 12 metros, deverá ser edificada em breve no local, em parceria com a SETOP – Secretaria Estadual de Transporte e Obras Públicas que fornecerá as vigas metálicas para sustentação do tabuleiro em concreto. (Geraldo Vanini- ASCOM PMAP)


Necessidade – Cozinha em péssimo estado foi totalmente reformada juntamente com salas de aula e de informática.

 


TUDO LIMPO – Limpeza no entorno, construção de muro para contenção de talude e aplicação de alambrado de proteção.